Espelho mEu.


Correu diante do espelho. Cabeça ao alto, peito a frente, nada podia detê-la, nem mesmo as peças que o destino constumava pregar. Seu peito explodia num sentimento de êxtase onde cada respiração sua a convencia que nada poderia ser melhor que a própria vida que tinha. Olhos rasos apreciando sua bela imagem ao espelho, cantarolou uma suave pergunta:

-Espelho meu, há alguém mais feliz do que eu?


Em algum lugar distante dali...

Arrastou-se diante do espelho. Cabeça baixa, peito encolhido, estava a mercê de seu proprio destino. O peito lhe apertava a ponto de sufocar sendo que cada respiração sua a fazia implorar pelo fim. Olhos profundos encarando sua infeliz figura ao espelho, gritou apenas uma pergunta:

-Espelho meu, há alguém mais triste do que eu?