O Jogo do Amor.


O destino as vezes aproveita a oportunidade para fazer uma brincadeirinha ou outra com os amantes. Você não saia dos meus mais ocultos e (ir)reais pensamentos. Pode até parecer piegas, mas te desejei desde quando te conheci. O brilho das tuas pupílas me iluminavam o dia, a luz que surgia do teu sorriso me dava calmaria, apenas a sua presença já me valia. Logo o destino tomou as rédeas e se aproveitou da situação. Abriu as portas do seu coração e me convidou a entrar. E eu entrei. Você provou ser tudo o que eu imaginava ser e em você me agarrei com tanta força , que pra minha surpresa não pude te amar. Do tanto que queria te dar, não consegui, pois por medo de te perder, não te amei. Não te guardei no meu coração, quis te algemar a ele. Teria te amado, mas por medo de te perder, não te amei.

Abandono.



Você se foi e me deixou apenas com o meu vício de sonhar.

Desejos Encontrados.


Hoje um gênio surgiu em minha frente
e apenas um desejo me ofereceu.
Lhe dei uma lista com tudo o que desejo
e o-pedi para que escolhesse qual o convenceu.

Desejei crianças brincando na calçada,
um pequeno peão girando, na inocência,
da nossa inocência perdida.
Risadas por todo canto, o canto mais belo
de um pássaro vestindo suas mais lindas asas.
Um canto que varre a Terra a procura de ouvintes.
E ouvintes que levem este canto a todos os cantos do mundo.

Pedi grandes e bravos dragões com seus guerreiros
modelados nas mais sutis e delicadas nuvens no céu,
para que as guerras ocorressem somente por ali,
e mesmo quando houvesse algum derramamento de sangue,
só teríamos a sorte de testemunhar pores-do-sol mais vermelhos.

Encomendei mais pores-do-sol por dia.
Um pequeno e rápido prazer do dia, se repetindo
para podermos ver mais sóis se pondo no horizonte,
e contudo mais sóis nascendo dentro de nós.
Mais luz. Mais brilho. Mais vida.

E também solicitei coisas bobas, coisas simples.
Beija-flores, joaninhas, borboletas e maritacas.
Primaveras com a beleza de todas as flores.
Flores, com sua frangância e beleza unica,
para que mesmo quando as flores morressem
termos ainda toda a formosura de um outono.
Outono de cores novas. Outono para re-nascermos.
E re-pensarmos nossas vidas.

O gênio pôs-se a ler minha lista de desejos,
deu uma deliciosa risada, e assim me disse:
"Esses pedidos todos já foram realizados,
basta ao ser humano querer enxerga-los".